Clube Athletico Paulistano

menu menu menu
Login/Área Restrita

Esportes

Mundial de Esgrima no Egito

Referência na formação de jovens esgrimistas, o Paulistano teve oito atletas no Mundial Cadete e Juvenil, disputado na última semana no Cairo, Egito.

Os melhores resultados nacionais foram obtidos no florete. Na arma, Ricardo Pacheco foi o 29º entre os 119 participantes na categoria juvenil. Após avançar pela pule, o associado superou dois duelos eliminatórios até cair no quadro de 32. Guilherme Murray, na mesma categoria, não superou sua pule e acabou em 100º.

Ambos fizeram parte da equipe brasileira que ficou com o 12º lugar. Na campanha, os jovens passaram pelos Emirados Árabes Unidos e perderam para a Rússia, nas oitavas. Nos confrontos por posições, vitória sobre Eslováquia, derrotas para Espanha e Uzbequistão.

Laura Papaiano também disputou o quadro juvenil de florete, com a 79ª colocação. No torneio entre equipes, a atleta apresentou-se em grupo que alcançou o 11º posto. As brasileiras perderam para ucranianas nas oitavas, e, na definição de colocações, venceram mexicanas, perderam para turcas e superaram argelinas. Ainda no florete, Rafael Tomino ficou em 64º entre os cadetes.

Na espada, Victória Vizeu construiu ótimas campanhas em suas pules, tanto na disputa cadete, como na juvenil. Nos dois campeonatos, porém, a atleta do Paulistano caiu nas estreias da etapa eliminatória, retornando como 33ª entre as cadetes e 40ª entre as juvenis. Giorgia Giordano disputou a competição juvenil, em que obteve o 96º lugar. Juntas, as duas defenderam o Brasil na prova por equipes, com derrota na estreia, para o Uzbequistão, e a 17ª classificação.

Por fim, no sabre, o Clube teve dois representantes. Pietra Chierighini foi a 71ª no campeonato juvenil. Na disputa por equipes, fez parte do time que venceu a Índia antes de perder para a Rússia, nas oitavas de final. Na definição de posições, derrota para Polônia, triunfos sobre Cazaquistão e Uzbequistão, e o 13º posto.

O sabrista Renato Saliba atuou tanto entre os cadetes, 45º, como entre os juvenis, 75º. Defendeu o país na chave por equipes, com eliminação para o Azerbaijão na estreia, e a 17ª classificação.

Dois mestres do CAP também estiveram na capital egípcia. Ricardo Ferrazzi Junior acompanhou a delegação brasileira, enquanto Régis Trois de Avila novamente trabalhou como árbitro da elite mundial.

Compartilhar
Aumentar Texto
Contraste