Clube Athletico Paulistano

menu menu menu
Login/Área Restrita

Patrimônio

Obras e manutenções

INTERVENÇÕES NECESSÁRIAS

A Diretoria mantém a postura de utilizar o período em que o acesso ao Paulistano está vetado aos associados para conduzir obras e manutenções. Desde a publicação da Revista de maio, novas intervenções necessárias foram desenvolvidas em diferentes áreas, por empresas contratadas e equipe de funcionários, sob administração de Alvaro do Couto Rosa Neto e Marcos Taunay Berrettini, diretores do Patrimônio

No Prédio Novo, os pilares periféricos externos estão sendo recuperados em processo que se realiza com a escarificação do concreto, tratamento das ferragens para substituição onde necessário e posterior concretagem.

As partes internas desses pilares foram avaliadas e, onde foram detectados problemas, estão sendo tratadas. Os pilares centrais do edifício foram reforçados com o intuito de permitir a execução de laje no quinto andar, cujos trabalhos prosseguem.

Os novos elevadores estão instalados e prontos para entrar em funcionamento. As obras dos vestiários e saunas subterrâneos evoluem no melhor ritmo possível dentro do quadro enfrentado nesses meses.

Os vestiários têm previsão de entrega para o terceiro trimestre e as saunas serão concluídas ainda em 2020. Iniciou-se nova obra de impacto, a reforma total da piscina olímpica.

Essa etapa consiste em obras civis de avaliação da estrutura e suas correções, com posterior instalação de moderno revestimento em placas no piso e paredes e sistema de drenagem superficial que evita a formação de marolas, como nas melhores piscinas esportivas.

Esse sistema de revestimento é um investimento a fundo perdido do Comitê Brasileiro de Clubes. Em paralelo, será substituído todo o sistema de tratamento da água, com menor necessidade de área, permitindo a criação de espaços para atividades administrativas do Clube. A entrega dessa obra está prevista para agosto.

Também prosseguem os trabalhos de manutenções variadas, como atualizações de conjuntos de iluminação, pinturas, limpeza de pedras e ladrilhos, melhoria das canaletas, consertos e substituições de móveis e higienização do poço artesiano.

Na área das quadras de areia do beach tennis instalaram-se armários e piso de madeira.

Por que a continuidade das obras?

Muitos sócios têm questionado o fato de o Clube manter obras em andamento na atual conjuntura. Gil Bacos, vice-presidente da Diretoria e um dos responsáveis pela área do Patrimônio do Paulistano, explica.

No momento em que se decidiu pelo fechamento do acesso ao Clube para associados em março, analisamos diversos pontos antes de optarmos pelo seguimento das obras.

É importante destacar que a paralisação unilateral por iniciativa do Paulistano resultaria em custos elevados de desmobilização e posterior remobilização a serem pagos às empresas contratadas.

Assim, definimos que só paralisaríamos os trabalhos por solicitação das empresas contratadas ou por manifestação impositiva da Prefeitura ou do Estado.

A reforma da piscina olímpica tem a maioria dos recursos provenientes do Comitê Brasileiro de Clubes, disponibilizados ao Paulistano em janeiro deste ano.

Como há imposição contratual para que os valores sejam gastos em período de 12 meses, sob pena de devolução, essa obra tem de ser executada de imediato.

No Prédio Novo, as empresas de consultoria contratadas solicitaram testes laboratoriais para avaliar e definir as derradeiras recuperações das estruturas e foram constatadas patologias a serem corrigidas.

Havia sido agendada reunião do Conselho Deliberativo para que esses resultados e valores previstos fossem apresentados, o que não ocorreu devido à pandemia.

Tendo em vista que essas intervenções demandariam pesadas restrições na operação do edifício, decidiu-se pela execução dos trabalhos durante o período em que o Clube está fechado, com a possibilidade de redução do prazo e, por consequência, dos custos.

Compartilhar
Aumentar Texto
Contraste