Clube Athletico Paulistano

menu menu menu
Login/Área Restrita

Bares e Restaurantes

Abrindo um vinho
Don Lolo e Seu Sonho

Clube Paulistano - vinho-Don-Lolo-e-Seu-Sonho-n

Por Bruno Airaghi.

Foi em 1939 quando Haroldo Santos Falasco iniciou esse grande sonho. “Don Lolo”, como todos o chamavam, andava de bicicleta pelas ruas de Chacabuco, uma pequena cidade da província de Buenos Aires.

Um dia, Haroldo pensou grande, e a bicicleta que ele usava para entregar vinhos tornou-se subitamente pequena demais para ele. Ano após ano, o sonho de Don Lolo estava mais próximo de se tornar realidade.

Seus filhos e netos tinham uma missão e, 70 anos depois, eles podiam realizar o que na época de Don Lolo parecia uma utopia: continuar a tradição de fazer vinhos de alta qualidade. Atualmente, a terceira geração executa o sonho iniciado em 1939.

A vinícola Los Haroldos está localizada no vale norte de Mendoza, no distrito de San Martin. Esse vale é irrigado pelo rio Tunuyán, é a região vinícola mais produtiva de Mendoza e da América do Sul.

Possui solos profundos, férteis e aluviais, que apresentam argila e areia, sem rochas. As vinhas estão localizadas entre 640 e 750 metros acima do nível do mar.

Os vinhos, como os Torrontés, destacam-se pelas fortes notas frutadas. Jorge Falasco chamou essa vinícola de “Los Haroldos” em homenagem ao pai e ao irmão. O anjo com o copo levantado nos rótulos de outros vinhos da linha reserva representa os parentes que infelizmente se foram.

O Torrontés é o vinho perfeito para um aperitivo refrescante antes da refeição ou para acompanhar os sabores delicados de peixes e mariscos. Vale combinar com queijos leves de cabra e meia cura.

Quer algo mais exótico? Harmoniza bem com os pratos aromáticos e picantes da Índia, China e Tailândia. Sendo parente da conhecida Moscatel, sempre teve um papel secundário na utilização da casta, antes reservada a simples composição de vinhos de corte, hoje já desponta como uva branca tão importante quanto a tinta Malbec.

Caracteriza-se como variedade aromática, ao lado da Malvasia e Gewurztraminer. De origem espanhola, se adaptou muito bem na Argentina.

Embora Mendoza seja um grande polo de produção, é altamente recomendável experimentar os vinhos oriundos da região de Salta. Essa cepa também se encontra em Portugal, Bulgária, Chile e Nova Zelândia.

O Torrontés de nossa carta é o Nampe Los Haroldos 2017, com 12,5% GL. Sua aparência é um amarelo-límpido com tons esverdeados. No nariz, aromas florais intensos de rosas, jasmim e pêssegos brancos.

Um vinho de intenso frescor, de complexidade frutada e com grande potencial, que recomendo experimentar na temperatura correta, sendo ideal para refrescar a alma em dias quentes que virão pela frente!

Salute!

Para comentários sobre o artigo, envie e-mail para abrindoumvinho@paulistano.org.br.

Compartilhar
Aumentar Texto
Contraste