História da arte

Este mês, o professor Plínio Freire Gomes conduzirá palestras de história da arte, sobre o tema Impressionistas na Modernidade

Graças aos impressionistas, um colorido mundo de rapazes em costume de banho e moças de sombrinha conquistou as salas dos museus. Mas o movimento foi bem mais que uma festa dos sentidos iluminada ao sol. Artistas como Monet, Manet, Degas e Lautrec se destacaram, acima de tudo, como atentos observadores da época. Reinventando a pintura, o Impressionismo foi o primeiro gênero artístico a registrar esse perturbador fenômeno histórico que chamamos de modernidade.

Plínio Freire Gomes é autor de Um Herege Vai ao Paraíso e mestre em História pela USP. Viveu dez anos em Florença, estudando o Renascimento, e seis no Oriente Médio, onde pesquisou arte e cultura islâmica. Ministra aulas sobre a história dos impérios e das relações entre Ocidente e Oriente e atua como conferencista em cursos livres no Masp, Museu de Arte Sacra, Casa do Saber, Fundação Ema Klabin, Museu de Arte Moderna, Instituto de Cultura Árabe, Areté (Centro de Cultura Helênica) e Centro Universitário Maria Antonia/USP.

7/8 Origens, entre o Paisagismo e a Pintura de Estúdio Paisagem, gênero primordial do romantismo.
Constable, Gaspar David Friedrich, Corot. A Escola Barbizon e Millet. A pintura de estúdio. Dois gênios rivais: Jean Dominique Ingres e Eugéne Delacroix.

21/8 Os Perturbadores Públicos
Entrando em choque com a pintura acadêmica, os impressionistas causam escândalo. Seu estilo combinava um compromisso radical com a luz ao fascínio pela modernidade. A reestruturação urbana de Paris. Manet reinventa a pintura.

Dias sábados
Horário 10h30
Local Auditório
Ingressos R$ 25 (sócio) e R$ 145 (convidado) por encontro, na Central de Atendimento, a partir de 2/8

Para acompanhar as palestras virtualmente, em transmissões em tempo real, escreva para cultural@paulistano.org.br.

A PROGRAMAÇÃO PODE SER ALTERADA, EM CUMPRIMENTO A RESTRIÇÕES GOVERNAMENTAIS, DE ACORDO COM A PREVENÇÃO À COVID.

Aumentar Texto
Contraste